Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano 📚

Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano
No quesito, leituras posso dizer que 2019 foi satisfatório. Diferente dos anos anteriores, eu não me cobrei tanto, aceitei os meus limites e não é que deu certo? Até consegui ler mais livros que em 2018! Não tive nenhuma leitura de fato maravilhosa, a grande maioria vai ficar no limbo de no geral o livro é bom, mas não conseguiu fisgar minha atenção, mas espero que 2020 seja melhor nesse quesito.

Os desafios literários que tinha me proposto para 2019 foram:

Ler pelo menos 6 livros clássicos ✔

Livros lidos:
Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano
Drácula — Bram Stoker. Livro incrível! Me deixou tensa, curiosa e decepcionada com todas as outras histórias sobre vampiros que já conheci.
O Ladrão de Casaca — Maurice Leblanc. Livro divertido, misterioso, um pouco surpreendente e o Arsène Lupin é um ótimo protagonista.
O Corcunda de Notre Dame — Victor Hugo. Vou mentir não, achei bem chato.
A Abadia de Northanger — Jane Austen. É legal, tem personagens cativantes, mas no geral, não fusionou comigo.
Nêmesis — Agatha Christie. Posso considerar ele um clássico? Adorei conhecer a Miss Marple, o mistério é envolvente e o final me surpreendeu.
Peter Pan — J. M. Barrie. A leitura em si, foi um pouco monótoma para mim, mas a história é fascinante e amei finalmente poder conhecer ela.

Leia também: Resenha: Peter Pan

Ler pelo menos 6 livros nacionais ❌

Acabei só conseguindo ler 5 livros nacionais.
Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano
Livros lidos:
Pietra — Beatriz Castro. É interessante e tem bastante potencial.
O Alto da Maga Josefa — Paola Siviero. Muito divertido, muito mesmo.
O Alquimista — Paulo Coelho. Não funcionou comigo, achei chato demais.
A Hora da Estrela — Clarice Lispector. Apesar da protagonista que dá nos nervos às vezes, esse é um livro emocionante e com uma escrita lindamente poética.
Mulher com Brânquias — Patrícia Baikal. A proposta do livro e interessante mas, achei que faltou profundidade na protagonista, apesar do que acontece com a mulher ser interessante, ela em si, não é.

Um livro de um autor (a) egípcio

Não consegui encontrar nenhum livro de algum autor egípcio que me interessou.

Ler mais livros de autores não estadunidenses ✔

Livros lidos:
Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano
Filha da Floresta — Juliet Marillie. Nova Zelandia. Livro fantástico! É isso.
A Bússola de Ouro — Philip Pullman. Inglaterra. Foi um pouco difícil prender minha atenção nele, mas é uma das melhores fantasias que já li.
Drácula — Bram Stoker. Irlanda
O Ladrão de Casaca — Maurice Leblanc. França
O Corcunda de Notre Dame — Victor Hugo. França
A Abadia de Northanger — Jane Austen. Inglaterra
Sobreviventes do Holandês Voador — Brian Jacques. Inglaterra. Então, não desgostei dele, mas também não gostei.
Nêmesis — Agatha Christie. Inglaterra
Peter Pan — J. M. Barrie. Escócia

Ler pelo menos 2 livros em espanhol ❌

Sabe aquelas metas que a gente faz e depois acaba esquecendo da existência delas? Foi isso que aconteceu com esse desafio, só fui lembrar dele quando estava escrevendo esse post.

Top 3: 2 melhores e 1 pior

Conclusão dos desafios literários de 2019 + Melhores e piores livros do ano
A Filha da Floresta — Juliet Marillier

Esse foi um livro que peguei para ler sabendo bem pouco sobre ele e que surpresa incrível! A autora soube lidar muito bem tanto com a mitologia abordada, quanto com a jornada da protagonista, que é de cortar o coração, mas o final é lindo ♥

Baseado na história Os Seis Cisnes dos Irmãos Grimm, "A Filha da Floresta se passa no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção." *

Todos os Santos Malditos — Maggie Stiefvater

Não é segredo para ninguém que Maggie Stiefvater é minha autora favorita e esse livro é provavelmente o meu livro favorito dela. Todos os Santos Malditos é um livro bem no estilo da Maggie, meio esquisito, meio poético, com personagens complexos e um cenário encantador.

"Qualquer pessoa que visite Bicho Raro, no Colorado, vai encontrar um cenário de santos sombrios, amor proibido, sonhos científicos, corujas loucas por milagres, afetos distantes, um ou dois órfãos e um céu cheio de estrelas vigilantes. No coração desse lugar está a família Soria, cujos membros têm a capacidade de realizar milagres.
E no coração dessa família estão três primos que desejam mudar o futuro: Beatriz, a garota sem sentimentos, que quer apenas ser livre para examinar seus pensamentos; Daniel, o santo de Bicho Raro, que faz milagres para todo mundo, menos para si; e Joaquin, que passa suas noites no comando de uma estação de rádio usando o nome Diablo Diablo. Eles estão todos à procura de um milagre. Mas os milagres de Bicho Raro nunca são exatamente o que você espera." *

O Duque e Eu — Julia Quinn

Eu terminei esse com um ódio no coração, que olha, foi difícil. O Duque e Eu é uma leitura divertida e rápida, só que eu achei que a autora foi irresponsável ao lidar com alguns assuntos. Tipo o comportamento violento dos personagens masculinos, tá bom que a história se passa em uma época onde isso era normal, mas o livro foi escrito nesse nosso século então cabia a autora deixar claro que esse tipo de comportamento é errado. Isso porque eu nem falei da cena romantizada de sexo com consentimento duvidoso... opa, falei.

"Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.
Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.
Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida." *

É isso, pessoa. Me conta aí qual foi o melhor e o pior livro que você leu em 2019 e quais são suas metas para 2020 :)

* fonte das sinopses: Skoob

Gostou desse conteúdo? Compartilhe ele e ajude o blog a crescer ♥

Comentários