Resenha: Peter Pan e a infância mágica e crua aos olhos de J. M. Barrie

Resenha: Peter Pan
Lançado originalmente como uma peça de teatro em 1904 o sucesso do garoto que se recusava a crescer criado pelo escocês J. M. Barrie foi tanto que em 1911 a peça se tornou o livro clássico que conhecemos até hoje.

Em uma noite quando o Sr. e a Sra. Darling saem para jantar um peculiar garoto invade o quarto dos irmãos Darling — Wendy, João e Miguel — o garoto se chama Peter Pan e está a procura de sua sombra. Junto com uma fada chamada Sininho, Peter convida os três irmãos para voarem com eles até a Terra do Nunca, uma ilha mágica onde encontrarão muitas aventuras.

Peter Pan | Autor: J. M. Barrie | Editora: Zahar | 256 páginas | Adicione ao Skoob

A Terra do Nunca sempre foi um lugar que me encantou graças ao live-action de 2003, eu amava a ideia de uma ilha mágica onde viviam fadas e crianças que poderiam nunca envelhecer. Quando finalmente pude ler o texto integral do J. M. Barrie me surpreendi bastante, o livro não é bem o que eu esperava, diferente do live-action ele é bem mais profundo, só que também é bem mais monótono.

Narrado em terceira pessoa, Peter Pan tem capítulos relativamente longos e uma linguagem infantil e fácil de acompanhar graças a um narrador que conversa diretamente com o leitor, exprimindo suas opiniões em vários momentos, fazendo assim tudo parecer mais real, só que em vários momentos falta emoção na história. Aquela cena do “Eu acredito em fadas” (que é maravilhosa no filme) é tão sem graça! O livro é cheio de ação e aventuras, mas nenhuma delas é de fato empolgante.
Resenha: Peter Pan
Na falta de emoção, Peter Pan transborda possíveis simbologias, dá para ficar criando teorias sobre ele até amanhã de manhã (olha a referência!). O Capitão Gancho, por exemplo, que apesar de aparecer pouco é um personagem complexo. Gancho luta o tempo todo contra seus princípios e odeia tanto o jovem Pan, pelo garoto representar tudo aquilo que ele mais despreza, a falta de bons modos.
“Miguel deveria ter dormido ali também; mas Wendy fez questão de ter um bebê, e ele era o menor de todos. Você sabe como são as mulheres.” página 112
Algo interessante a se pensar são as personagens femininas, me incomodou demais a forma limitada como o autor lidou com elas, enquanto a Wendy é a representação da mulher bela, recatada e do lar; a Sininho é a mulher vulgar, invejosa e vingativa. Apenas isso, sem profundidade nenhuma, mas na época em que o livro foi publicado as coisas não eram vistas assim, a forma como o autor engrandece a Wendy e as mães no geral, ressaltando o quão inteligentes e importantes elas são, pode ter sido relevante para aquela época, mas agora, em pleno século XXI não consigo não pensar que o livro teria sido muito mais fascinante se a Wendy fosse tão complexa quanto o Peter.
“– Pan, quem e o que é você? – perguntou o capitão com a voz rouca.
– Eu sou a juventude, eu sou a alegria – respondeu Peter num impulso.” página 217
Falando em complexidade do Peter, que personagem fantástico! Ele não é lá muito cativante, na verdade, ele é irritante, mas com certeza é complexo. O personagem nada mais é do que a personificação da infância, crua e sem a interferência de adultos. Peter é um garoto que se recusa a crescer, ele é cruel, egoísta e extremamente ingênuo. Se pararmos para o analisarmos mais a fundo vemos que o personagem é até mesmo trágico, ele se recusa a crescer por isso vive apenas no presente, estando fadado a sempre se esquecer do passado.
Peter interpretado pelo Robbie Kay em Once Upon a Time.
Tradução da legenda: "Peter Pan nunca falha."

Coisa parecida acontece com os outros meninos perdidos. É chocante e sinistro ver a violência deles, mas não deixa de ser interessante pensar na ideia que o autor coloca de que as crianças são desalmadas. Crianças ainda estão aprendendo, não sabem o que é certo e errado e os meninos perdidos não têm um adulto ali lhes explicando o que podem ou não fazer. Logo se torna “compreensível” a selvageria deles.
Resenha: Peter Pan
Além de tudo isso, Barrie criou um mundo cheio de detalhes no mínimo interessantes, como a forma como as fadas nasceram, por exemplo, que é encantador, e se prestarmos um pouco de atenção também notamos algumas sutis críticas a sociedade, o Sr. Darling é um homem que se preocupa demais com dinheiro e a opinião alheia por isso, em vários momentos é ridicularizado.

Apesar de não ter sido um livro que amei, com certeza gostei da experiência de ter lido ele e entender o porque dele ter se tornado um clássico. Peter Pan é uma história que deve ser lida em qualquer época, lugar e idade, sem perder o seu peso e magia. E o melhor é que cada um, criança ou adulto, vai interpretá-la de um jeito. Crianças verão a história como uma aventura divertida já os adultos a verão de uma forma profunda e cheia de significados.
“Quando a novidade chama, as crianças estão sempre prontas para desertar aqueles que mais amam” páginas 167
Me conta, você já leu Peter Pan? Tem vontade de ler?

10 Comentários

  1. Oie, boa tarde.
    Amei Peter Pan na minha infância e claro que me encantei pelo Gancho e sua vilania. Sempre (desde criança) gostei dos vilões. E achava interessante que apenas o Pan não envelhecia, o lugar retardava o crescimento dos demais, mas não os impedia de crescer, apenas o Pan conseguia tal coisa. E sempre achei que era mais um complexo do personagem que o lugar ou a magia em si.
    Eu me lembro que, em uma das versões que me contaram, o Pan era vilão e roubava as crianças por não ter com quem brincar. O Gancho não existia e a gente discutia que os Piratas eram na verdade os meninos crescidos. rá
    Nossa, viajei, mas é que eu amava essa história. Acho que vou reler... para ver como me comporto com ela hoje.

    bacio

    ResponderExcluir
  2. Olá ♥
    Comecei a ler a resenha toda animada pensando que seria um livro incrível, mas depois percebi que não é bem assim kkkkkk....
    Eu não li ainda, mas confesso que fiquei bem curiosa pela leitura.
    Amei as fotos ♥
    Bjo

    Tati C.

    ResponderExcluir
  3. Apesar de conhecer o enredo de Peter Pan este é um livro que nunca li, e também nunca terminei de assisti nenhum dos seus filme. Porém gosto bastante do filme Em busca da terra do nunca, que acredito que tem traz a questão do teatro (não sabia que a história se originou como uma peça de teatro).

    Porém essa é uma história que nunca me cativou e lendo sua resenha começo a entender pq. Apesar disso gostou bastante da forma que a série Once upon a time trabalha a história, inclusive essa é uma das minhas temporadas favoritas da série.

    obs: Parabéns pelas fotos ficaram incríveis!

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  4. Um dos filmes que eu mais assisto atualmente, porque criança tem mania de assistir a mesma coisa milhões de vezes como se fosse a primeira vez, minha filha ama a sininho e eu nem ligo de assistir junto com ela as vezes, sempre fui encantada pela terra do nunca, ainda não tive a oportunidade de ler o livro, mas apesar de monótono deve ser uma experiência mágica, minha filha iria amar escutar essa história antes de dormir, principalmente por já estar acostumada com os personagens através do filme! O livro já foi pra lista de desejos!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro a história do peter pan, mas ainda n tive a oportunidade de ler a original, porém creio que seja não tão empolgante mesmo hahaha
    Eu li um livro inspirado na história dele que se chama o ladrão de crianças e me abriu os olhos de uma maneira que eu fiquei mais curiosa ainda pra ler e assisti tbm o filme contanto a história do autor de peter que - infelizmente- é interpretado por jonnhy Depp mas a história é muito boa. Enfiiiimmmm to falando muito. Adorei o post afinal ❤

    ResponderExcluir
  6. Essa história nunca me chamou atenção. Mas talvez se ler o livro mude de ideia. Mesmo tendo um pouco de ranço dele hahah
    De todos os personagens gosto mesmo é da Sininho.Ela é muito fofa nos filmes. Parabéns pela resenha rica em detalhes. Com certeza se tiver a oportunidade, lerei.
    Um bjo
    Gabi

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem ?
    achei lindo, tenho vontade de ler mais ainda estou com uma outra pilha de livros na frente mais uma hora irei ler adoro Peter Pan.

    https://apenasdenise.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Peter Pan era uma das minhas histórias favoritas quando criança, exatamente pelo fato deles não crescerem (e eu tinha um crush no Peter). Mas hoje em dia percebo a profundidade que vai a história. Afinal, quando criança não temos o senso crítico como adultos (tal como o Peter e as crianças perdidas).
    Quero muito ler o livro para saber mais afundo da história. <3

    ResponderExcluir
  9. Sempre amei Peter apan desde que era criança e assisti ao desenho da Disney. Depois de assistir a última adaptação de Pan, a vontade de ler o livro só cresceu (principalmente essa versão, que acho lindinha!)
    Acho a história fascinante, e bem complexa, e os pontos que você abordou, principalmente sobre como as mulheres foram são bem importantes de se debater, já que naquela época as coisas eram muito diferentes.
    Amei sua resenha!!!

    ResponderExcluir
  10. Sempre fui muito apaixonada pelas histórias do Peter Pan, principalmente quando colocava na Disney, hehehe, mas nunca li os livros (só aqueles para crianças que tinham umas 8 páginas). Quero muito comprar esse livro, eu já tinha ouvido falar dele. Também quero ler Alice no País das Maravilhas em breve ♥

    Parabéns pela resenha!

    Beijão ♥

    http://vinteinvernos.com/

    ResponderExcluir

• Seu comentário é muito importante, portanto, sinta-se a vontade para me contar o que achou desse post, sempre mantendo respeito e bom senso, é claro.
• Os comentários serão respondidos o mais rápido possível.
• Lembre-se: espalhe o amor e não spam.
• Espero que tenha gostado daqui. Volte sempre! ♥