Resenha literária | Cassandra Clare sendo destruidora com surpresas, mortes e romances em Senhor das Sombras

domingo, janeiro 07, 2018

Dia 7 de janeiro é o dia do leitor e para comemorar esse dia nada melhor do que falar sobre livros, não? Senhor das Sombras foi um livro que eu gostei muito (entrou para a minha lista de favoritos) ao mesmo tempo que tiveram algumas partes em que detestei. Mas antes de tudo eu recomendo que caso você não tenha lido Dama da Meia-Noite é melhor não ler o próximo parágrafo (que vai ter spoilers de Dama da Meia-Noite) mas o resto da resenha não tem nenhum spoiler, prometo.

Senhor das Sombras é o segundo livro da trilogia Os Artifícios das Trevas e começa algumas semanas depois do final de Dama da Meia-Noite. Emma conseguiu vingar seus pais mas não encontrou a paz que procurava com o ato. Estar apaixonada por seu parabatai não é fácil principalmente quando ela sabe o motivo disso ser contra a lei. Os assassinatos contra o povo das fadas acabaram mas agora o rei Unseelie quer se erguer contra os caçadores de sombras. Emma, Jules e Mark se veem presos entre as exigências das fadas e as da Clave e devem encontrar um modo de fazer a coisa certa e proteger quem eles amam.

Senhor das Sombras. Os Artifícios das Trevas – livro 2 | Autora: Cassandra Clare | Editora: Galera | 602 páginas | Skoob

Leia também:
Resenha literária | Dama da Meia-Noite

Senhor das Sombras possui capítulos um pouco longos mas ele é narrado em terceira pessoa pela perspectiva da Emma, do Jules, do Kit e alguns outros personagens que não vou falar quem são para não estragar a surpresa. Como o livro é narrado por tantos personagens nem dá para notar que os capítulos são longos. Ali em cima falei que o livro teve partes que detestei e os culpados por isso são a Emma e o Jules. Eu adoro eles, sério, mas a tensão sexual entre os dois enche o saco ao ponto de que eu tinha vontade de tacar fogo no livro sempre que a Emma ou o Jules estavam narrando. Espero do fundo do meu coração que no próximo e último livro não tenha toda essa coisa de “Eu amo o Jules mas não podemos ficar juntos MAS EU NÃO CONSIGO PARAR DE PENSAR NELE, mas não podemos ficar juntos...”, Emma e Jules, me poupe!

Sobre os personagens não sei se já deu para notar mas o livro é cheio deles e muitos tem um grande destaque como a Diana (rainha da porra toda), o Kit e as outras crianças Blackthorn. Particularmente amei conhecer mais desses personagens e mal posso esperar pela trilogia onde a Drusilla o Ty e o Kit serão os protagonistas. Emma, Kit e o Mark foram os responsáveis por tornar a leitura mais divertida, Emma e Kit sendo sarcásticos e o Mark sendo meio sem noção. Já o Jules me surpreendeu bastante se mostrando ser bem diferente do que eu esperava.
“Como o pai de Kit costumava dizer sobre vários criminosos, Julian era o tipo de pessoa que poderia descer ao inferno e sair de lá com o próprio diabo lhe devendo um favor.” Página 259
Boa parte do livro se passa em Londres então quem leu As Peças Infernais com certeza vai adorar rever Instituto de Londres. E claro, alguns personagens de Os Instrumentos Mortais também aparecem como o Alec e o Magnus que tem um destaque bem bacana nesse livro. Inclusive foi maravilhoso ver o Alec pisando nasinimigas ♥
Para quem gosta de encontrar diversidade nos livros de fantasia talvez goste de saber que nesse livro descobrimos que um certo personagem é transexual. É muito legal da parte da Cassie colocar diversidade LGBT+ em seus livros mas eu particularmente só vou ficar orgulhosa mesmo quando a autora colocar diversidade em seus protagonistas que até agora são todos brancos, magros, heteros e cis.

Sobre o final do livro, meu Zeus, que final foi esse? Cassie meu anjo, como teve coragem de fazer uma coisa dessas?
Isso foi cruel. O final de Senhor das Sombras não é fácil, na verdade ele é chocante e intenso, as coisas aconteceram tão rápido que nem deu tempo de chorar e sim, o livro termina com um belo de um cliffhanger.

Agora vamos colocar defeito nas coisas, essa é a edição de colecionador que eu comprei, não vou mentir, só porque iria vir com o deck de cards ilustrados pela Cassandra Jean. O deck de cards é maravilhoso (se bem que eu acho que teria combinado mais com a vibe do livro se tivessem usado as ilustrações da @aegisdea) mas a edição do livro deixou um pouco a desejar. Ok, a edição está igual a de Dama da Meia-Noite mas ainda assim, estamos falando de uma edição de colecionador que custou bem caro por sinal e o livro tem vários erros de digitação, as folhas são mais finas que o normal e eu odeio esse brilho que vem nessas edições, até iria gostar mas ele desbota com tempo e não gosto de nada que venha nas capas que desbote. Mas aí você pensa, “mas sai caro fazer uma edição mais caprichada, Ruby”, sim, é verdade, mas aí eu penso em duas coisas: 1) tem editora que publica livros de capa dura e edições super caprichadas por preços bem semelhantes com o que estava O Senhor das Sobras na pré venda e 2) mesmo o livro custando caro a Cassandra Clare tem muitos fãs brasileiros que estariam dispostas a ter uma edição caprichada dos livros da autora. Pronto, desabafei.

Essa edição também veio com uma cena deletada e bom, ela é sobre a Emma e Jules então não gostei muito dela não...
Se você está querendo mais motivos para ler O Senhor das Sombras saiba que:

  • Mesmo sendo um livro grande a leitura é rápida e flui muito bem.
  • Alguns personagens de As Peças Infernais aparecem.
  • Vários personagens de Os Instrumentos Mortais aparecem.
  • Mesmo tendo detalhes que eu não gostei esse é o meu livro favorito da Cassandra Clare.
  • Acho que esse é o livro mais sombrio da Cassie, porém também é um dos mais divertidos.

Emma sobre o Magnus:
“– Ele está ficando cada vez mais parecido com Gandalf – falou Emma, observando-o sair. – Quero dizer, um Gandalf mais jovem e gostoso, mas eu fico esperando ele começar a coçar a longa barba branca e resmungar sombriamente.” página 530
Sim Kit, o Mark é estranho
“– Você realmente acha que é uma boa ideia? – disse Kit. – Quero dizer, sua casa é bem ferrada, com seu tio agorafóbico e seu irmão estranho. – Ty não é estranho. – Eu estava falando do Mark.” Página 56 Citação para nos fazer pensar:
“– Na republica de Roma – falou –, havia sempre um serviçal designado para cada general que vencia uma guerra. Quando o general passava pelas ruas, aceitando os agradecimentos das pessoas, a tarefa do serviçal era sussurrar ao seu ouvido, “Respice post te. Hominem te esse memento. Memento morri.”.
– Olhe para trás – traduziu Julian. – Lembre-se de que você é um homem. Lembre-se de que vai morrer.” página 119 
E você meu caro leitor de blogs, gosta de ler livros? Tem algum livro que está lendo no momento? Qual?

Fica mais um pouco. Talvez goste desses:

0 comentários

• Seu comentário é muito importante, portanto, sinta-se a vontade para me contar o que achou desse post, sempre mantendo respeito e bom senso, é claro.
• Normalmente os comentários são respondidos nos fins de semana.
• Lembre-se: espalhe o amor e não spam.
• Espero que tenha gostado daqui. Volte sempre! ♥

@rubyane_santos