Resenha literária | Não confie em ninguém de A Casa Torta

sexta-feira, setembro 29, 2017

Mês passado era para ter saído por aqui a resenha do livro Morte no Nilo mas acontece que todos os livros que estou lendo para o projeto 6 meses com a Rainha do Crime estou pegando emprestado da minha irmã e Morte no Nilo é o único livro da lista que ela não tem e esse ano estou sem vontade nenhuma para ler livro online.

Resenha literária A Casa Torta, Agatha Christie
A Casa Torta | Autora: Agatha Christie | Editora: Nova Fronteira |  240 páginas | Skoob

Aristide Leonides um homem já com seus mais de oitenta anos e dono de uma grande fortuna é assassinado em sua casa, os suspeitos? Toda a sua família (uma jovem viúva, dois filhos, duas noras, três netos e uma cunhada), que por sinal moravam na mesma casa que o velho patriarca. Mas porque alguém da família poderia matar o velho Leonides? Por sua herança? Mas valeria a pena matar alguém já com a idade avançada sendo que se esperasse um pouco mais já iria conseguir a tal herança?

O crime é investigado por Charles Hayward, filho do comissário-assistente da Scotland Yard responsável pelo caso, que decide investigar para ajudar o crime a ser desvendado mais rápido por desejar se casar com uma das suspeitas do assassinato.
“Eu acho que as pessoas matam com mais facilidade aqueles a quem mais amam, que aqueles a quem odeiam. Possivelmente porque apenas as pessoas que amamos são realmente capazes de nos infernizar a vida” página 113
Acho que não cheguei a falar isso antes mas eu meio que cresci ouvindo sobre as história da Rainha do Crime e quando iniciei a leitura de A Casa Torta eu já sabia quem era o assassino pois já tinham me contado a muito tempo atrás e minha memória é relativamente boa. Então, está aí mais um livro da Agatha Christie que não me surpreendeu. Isso torna o livro de alguma forma ruim? Não, mas dos três livros da autora que já li esse foi o que menos me cativou.

A Casa Torta é narrada em primeira pelo Charles que não é um detetive mas está investigando o caso por motivos próprios o que talvez faça com que o leitor se sinta mais próximo do personagem já que ele é tão detetive quanto nós leitores, eu particularmente não gostei nem desgostei dele. Basicamente Charles só está ali para investigar o caso então não dá para conhecer ele o suficiente para gostar do moço. Já a família Leonides é muito interessante! Cada um deles com uma personalidade completamente diferente umas das outras. Minha personagem favorita com certeza foi a Josephine que me cativou logo no início.

A narrativa do livro assim como todos os livros da Agatha, acredito, é bem simples e rápida, a autora colocada todos os detalhes necessários para um livro de investigação sem ficar enrolando, ela sempre vai direto ao ponto o que faz com que de para ler seus livros em pouco tempo. Mas esse livro demorou um pouco para me prender – não acho que a culpa tenha sido do livro e sim do momento em que eu li ele que não era muito propício – só foi lá na metade do livro que realmente senti vontade de continuar lendo ele, quer dizer, eu sabia quem era o responsável pelo crime mas não sabia o porque dele ter feito aquilo e isso me prendeu ao livro.

Sobre a descoberta do assassino, é claro, não fiquei surpresa e acho até que se qualquer leitor prestar bastante atenção aos detalhes ele vai conseguir por conta própria descobrir quem é o assassino, mas ainda assim, o final pode ser bem chocante para algumas pessoas.

Como pode ver essa não foi a minha leitura favorita da Agatha Christie mas o livro não deixa de ter seus pontos interessantes e é legal também avisar que esse era considerado pela autora um de seus melhores livros. Também é bem legal ver que nos livros da Rainha do Crime qualquer pessoas pode ser o assassino. E você, já leu algo da autora?
“– Eu acho que está na hora do próximo assassinato, você não acha?” página 156
Ah, e assim como Assassinato no Expresso do Oriente, A Casa Torta também vai ir para os cinemas, pelo que vi o filme Crooked House foi lançado esse mês na Alemanha e graça ao trailer a fotografia do filme parece ser fantástica!

Fica mais um pouco. Talvez goste desses:

6 comentários

  1. Olá!
    Nunca li nada da Agatha e sua resenha acabou me deixando meio desanimada pois tinha altas expectativas com este livro. Porque como você mesmo citou, era um dos prediletos da autora.
    Mas fiquei curiosa: qual você considera o melhor livro dela?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Então, eu até entendo o porque do livro ser um dos favoritos da autora. Naquela época que o livro foi escrito o que acontece nele devia ser muito surpreendente. Mas ei, não deixe de dar uma chance para ele, talvez você acabe gostando :)
      Acho que dos três livros que já li da autora o que eu mais gostei do Assassinato no Expresso do Oriente. Aquele final sim é surpreendente.

      Beijo!

      Excluir
  2. Meu deus, eu só li três livros da Agatha: Assassinato no expresso do oriente, E não sobrou nenhum e encontro com a morte, comecei a ler os livros dela esse ano e já amo, não conhecia esse e fiquei morrendo de vontade de ler porque é o preferido da autora, bate aquela curiosidade.

    Beijos,
    PINGUIM TAGARELA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Encontro com a Morte eu não li, já vou ir ver sobre o que ele é.
      Os livros da autora são muito bons, né?
      Caso leia A Casa Torta venha me contar o que achou dele :)

      Excluir
  3. Eu já li livros de suspense,na verdade só um por que o gênero que mais leio e autoajuda, esse parece ser bem estingante, nunca tinha ouvido falar, adorei as fotos do post
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é um livro bem instigante. Fico feliz que tenha gostado da foto :)

      Beijo!

      Excluir

• Seu comentário é muito importante, portanto, sinta-se a vontade para me contar o que achou desse post, sempre mantendo respeito e bom senso, é claro.
• Normalmente os comentários são respondidos nos fins de semana.
• Lembre-se: espalhe o amor e não spam.
• Espero que tenha gostado daqui. Volte sempre! ♥

@rubyane_santos